terça-feira, 22 de março de 2011

Os Maias


No Sábado fomos até Greenwich para ver a adaptação d´Os Maias ao teatro. Este foi um livro que muito me marcou e que me aguçou ainda mais a paixão pela literatura. Lembro-me dos meus colegas de liceu a queixarem-se das intermináveis descrições e a irem a correr comprar a versão reduzida da Europa-América enquanto eu devorava as páginas do livro nas paragens do autocarro.
A expectativa era muita e a curiosidade imensa. Sabia que a directora era portuguesa por isso esperava que as personagens reflectissem a nossa cultura. E, principalmente, que não atraiçoassem a imagem idealizada que eu tinha delas.
O teatro é uma sala pequena e intimista. A companhia é pequena e o cenário e adereços pobres. Mas a qualidade e o empenho são grandes e enchem-nos o peito!
O Ega fez-me rir, o Alencar lembrou-me a nossa gente e o Dâmaso personificou a crítica social tão característica ao Eça. Achei imensa piada à forma como os pobres ingleses tentavam pronunciar nomes e locais, tais como Celourico, Guimarães, João e Carlinhos, entre outros. Os sentimentos foram contidos e a leviandade foi sugerida, não de todo como eu me lembrava do livro. Mas, considero que foi uma boa adaptação, que retratou fielmente a nossa raça!

5 comentários:

  1. Ceres, é muito bom ver uma peça de uma obra portuguesa, representada num país estrangeiro. Fico orgulhosa :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. É mesmo caso para se fica orgulhoso!
    Havia bastantes portugueses na plateia mas muitos ingleses também ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Também é um dos livros favoritos aqui de casa. Deve ser uma excelente sensação ver uma peça baseada numa obra portuguesa no estrangeiro.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. É estranho e ao mesmo tempo muito giro ;)))
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar